Atenção ao contrato antes de contratar uma Seguradora

Quais características identificar em uma Seguradora de confiança
31 de julho de 2020
Em caso de sinistro, o que a Seguradora cobre no veículo do terceiro?
14 de agosto de 2020

Atenção ao contrato antes de contratar uma Seguradora

As responsabilidades de um proprietário de automóvel em relação ao mesmo, não terminam quando tratam-se apenas do pagamento e quitação da dívida da compra. As obrigações tornam-se quase que constantes, pois um veículo necessita de alguns cuidados básicos, manutenções, legalidades, contratação de uma Seguradora e, principalmente, as precauções, para que seja seguro, forneça comodidade, realize sua função de ir e vir, que seja resistente e “durável” e principalmente, que não cause prejuízos ao motorista e proprietário. 

Quando o investimento torna-se alto e bem fragmentado (em parcelas), ou veículo torna-se uma necessidade vital, e a segurança como um todo (dos próprios usufruidores) são prioridades, as preocupações possuem um peso completamente diferente em relação a investimentos básicos e simples. É nesse momento, que muitos proprietários analisam e cogitam a possibilidade de contratar uma Seguradora. 

A Seguradora é uma categoria de serviço que atinge algumas demandas da sociedade, sendo para proteção e valorização da vida, imobiliária, patrimonial, automóveis, entre outros. Com isso, os serviços são contratados a partir de uma apólice (ou também denominado contrato), com a inserção dos serviços de proteção inclusos e seus valores, definidos de acordo com as particularidades do proprietário, suas necessidades, riscos e solicitações. 

A importância de realizar a contratação de uma Seguradora 

É muito comum que algumas pessoas definam a contratação de uma seguradora, como um gasto desnecessário e principalmente “pouco provável” de ser utilizado, com aquela ideia de que “acidentes nunca acontecem comigo”, sempre cogitando que emergências nunca são prováveis. Mas, de acordo com pesquisas realizadas no ano de 2016, Organização Mundial da Saúde (OMS) denominou o 5° lugar para o Brasil dentre os países que registram mais acidentes de trânsito, totalizando 37 mil colisões (sendo 38 mil no ano anterior). 

Além de claro, levar em considerações situações que estão mais “arriscadas” para determinadas classes sociais, gênero, faixa etária, entre outros. Pois, segundo dados estatísticos, homens, entre 20 a 50 anos, que se transportam através de automóveis (carros) e residentes em metrópoles, possuem maiores riscos de sofrerem algum tipo de acidentes ou batidas (de maneira direta ou indireta). Nos quais são dados essenciais para realizar a definição dos serviços de proteção que serão realizados pela Seguradora. 

Quanto maior necessidade e maior conhecimento da Seguradora em relação ao proprietário, maior será a proteção e melhor será o atendimento. Se o motorista está incluso nesses dados e reconhece que possui riscos reais de colisões, é muito importante realizar uma análise dos valores e vantagens que possui a contratação de uma Seguradora. 

Em certas situações, a Seguradora é um básico investimento, levando em considerações os gastos com manutenções constantes, percursos “perigosos”, movimentados ou arriscados, utilização constante do veículo (seja para trabalho, transporte diário, entre outros), um modelo específico de automóvel e com um alto valor monetário, ou mesmo que altas chances de roubos e furtos, é viável que a contratação de uma Seguradora seja uma benéfica e válida alternativa, sendo uma proteção de quaisquer emergências. 

A relação de contrato entre Seguradoras e clientes 

Mesmo que possuindo uma noção ampla sobre as vantagens, benefícios e motivos válidos para realizar a contratação de uma Seguradora, ainda sim, muitos consumidores possuem dúvidas constantes e uma insegurança em relação definir quais são os tipos de atendimentos e em quais situações os mesmos serão realizados (quando trata-se de Seguradora, o que será incluso no abono serão apenas os serviços inclusos no contrato, nada a mais) e além de, possíveis golpes e ilegalidades em relação ao contrato e pagamentos. 

Para isso, é muito importante antes de definir e de fato assinar o contrato para a prestação dos serviços, realizar uma vasta e intensa pesquisa nas Seguradoras da região. Uma Seguradora de qualidade tende a tornar a burocracia em relação ao contrato, mais acessível, com maior entendimento e leiturabilidade, gerando ao fim, uma consciência do que o consumidor terá como atendimento e o que será pago. 

A escolha da Seguradora deve basear-se em alguns detalhes básicos, um ambiente virtual de comunicação (site) que para demonstre seus resultados, os serviços realizados, clientes reais, que seja acessível ao consumidor com as informações claras e objetivas, que seja fiel a sua essência. Posteriormente, o atendimento físico realizado deve ser de maneira ética, informar os critérios da empresa, referências que a mesma possui, suas legalidades e certificados, e que os profissionais possuam capacitação e qualificação para atender. 

Atenção ao contrato antes de contratar uma Seguradora 

Para que o contrato seja elaborado, primeiramente são realizadas algumas entrevistas para recolher informações e assim desenvolver um perfil para o cliente. A partir desse perfil, o contrato será elaborado. No contrato, devem estar incluídas informações básicas como, faixa etária, gênero, classe social, pessoas incluídas na apólice do proprietário, modelo do automóvel, dados estatísticos, a rotina que o mesmo possui, futuras situações que estão em risco e afins (desde colisões e batidas, até mesmo furtos e roubos), entre outros. 

Com o perfil definido, o contrato irá ser desenvolvido. Cada Seguradora possui seu método e suas divergências para desenvolver o contrato, sempre variando de acordo com cada consumidor. Para isso, é muito importante que o proprietário esteja ciente de todas as informações que foram fornecidas, que estarão inclusas na apólice, o que será pago, o que será incluso na proteção e principalmente, as situações que estão inclusas. 

Um exemplo básico de erro de comunicação: é muito comum que os Seguros definam o proprietário do automóvel como o “protegido” no contrato, negando atendimento para terceiros que causarem acidentes com o veículo em questão (seja de maneira direta ou indireta), mesmo que tenha o Seguro. Por isso, é viável incluir no contrato pessoas mais próximas do seu círculo social, ou garantir que o consumidor definido no contrato seja o único a utilizar, evitando então problemas nos serviços prestados pela Seguradora em uma emergência. 

Este é apenas um exemplo de um erro comum que os consumidores passam ao contratar um Seguro. Devido a isso, analise o contrato com muita atenção, defina todas as situações de riscos que seu veículo possui, atente-se as cláusulas referentes a pagamentos e garantias que o Seguro possui. Um Seguro é um investimento contínuo e benéfico, levando sempre em consideração a proteção, segurança e qualidade de vida dos seus clientes, não meça tempo e cautela para assinar um contrato tão importante. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *