Sinistro em seguro: entenda a diferença entre sinistro parcial e total

acidentes-causados-por-falta-de-qualidade-no-reparo-do-automóvel
Os tipos de acidentes causados por falta de qualidade no reparo do automóvel e como evitá-los
20 de agosto de 2020
o-que-e-apólice-de-seguros
O que é apólice de seguros?
3 de setembro de 2020

Sinistro em seguro: entenda a diferença entre sinistro parcial e total

seguro: entenda a diferença entre sinistro parcial e total

A conquista de obter um automóvel próprio, fruto de muito esforço, e investimento, acompanham muitas questões de relevância e preocupação da parte do seu proprietário. A quitação das prestações, as documentações, as legalidades do trânsito, e consequentemente, a decisão de obter um Seguro. 

Muitos motoristas, principalmente os que são dependentes diariamente do veículo, e residem em grande capitais e metrópoles, decidem assumir compromisso com uma Seguradora. Mas, a decisão de realizar a contratação desse serviço vai além de somente “sentir insegurança”, muitos preferem estar assegurados em situações de emergência, no qual em uma colisão, acidente ou sinistro, o valor pode ser surpreendente, até mesmo em outro veículo.

O fato é que, muitos motivos levam um motorista a realizar essa contratação, mas, é importante estar informado e consciente de todos os serviços estabelecidos no contrato, pois os mesmos são divergentes entre si, variando no valor total do próprio seguro. 

Por isso, se você é um recém proprietário de um veículo, ou mesmo já o possui há um tempo, e decide realizar a contratação dos serviços de uma Seguradora, esteja ciente de tudo que o mesmo irá cobrir.

Cada categoria dos serviços possuem uma denominação, e como a mesma irá agir no momento da solicitação do serviço, conhecendo cada termo, é possível entender o que é viável (ou não), antes de realizar o contrato. Uma dessas categorias, é o sinistro. 

O que significa o termo “sinistro”? 

O termo “sinistro” é uma denominação utilizada no mercado automobilístico e de trânsito, para determinar uma situação de batida ou colisão, de maneira involuntária, ou seja, um acidente. Esse termo é bastante usado nas apólices de seguros, pois determina um tipo de cobertura, a de um acidente. 

Para que seja determinado como um sinistro, é necessária uma avaliação dos profissionais e funcionários da Seguradora, pois o mesmo deve seguir algumas “regras” para ser considerado e assim, receber uma indenização. 

Essas “regras” servem para determinar, além da aprovação do serviço para esses casos, mas também o que será pago na indenização. Na maioria das apólices, os sinistros recebem denominações divergentes, pois, nem todas as ocorrências são iguais, e consequentemente, nem o atendimento. Tudo depende do dano causado, e do que foi estabelecido e pago no contrato com a Seguradora. Em sua maioria, os seguros determinam sinistro parcial ou total. 

O que é um sinistro parcial? 

A determinação de um sinistro parcial ou total, é sempre caracterizado pelo nível de prejuízo e de danos que foram causados nos veículos envolvidos. Para que seja determinado um sinistro parcial, após a análise, o valor monetário dos danos deve ser inferior ou equivalente a 75% do valor total do veículo.

Ou seja, se um veículo possui um valor total de R$ 100 mil, a quantia dos gastos deve ser até 75% ou inferior, desse total. Com isso, a Seguradora determina que foi uma perda parcial. 

O que é um sinistro total? 

Em contrapartida, um sinistro total, caracteriza-se por um sinistro que causa danos, como o próprio nome diz, totais. Ou seja, após o acidente, colisão ou batida, os danos causados ao veículo contratante dos serviços do seguro, ocasionaram uma perda acima de 75% do valor total do veículo, por exemplo, se o mesmo possui um valor total de R$ 100 mil, a quantia dos gastos foi acima de 75% de todo o valor do veículo. Com isso, é determinado uma perda total. 

Existem casos que o contratante assume o compromisso de realizar um seguro para roubo do veículo. Neste caso, um roubo é caracterizado por perda total, pois afinal, um roubo é a perda total do veículo. Tudo depende do que foi estabelecido pela seguradora, e assumido pelo consumidor. 

Inserção de uma franquia no contrato 

Em alguns casos, dependendo dos métodos de serviços da seguradora, há a utilização de uma franquia. A “franquia” é um termo que determina na apólice, um valor X a ser gasto pelo contratante, no qual o mesmo irá reembolsar no momento de pagar algum gasto.

Por exemplo, se o mesmo determinou R$ 2000, e o gasto foi acima desse valor, a seguradora realiza o pagamento do restante que foi gasto. Bastante utilizado nesses casos de sinistros parciais e totais. 

Conclusão 

Esses serviços relacionados à sinistros são os mais importantes no momento de assumir o contrato de um seguro. Devido a isso, realize uma pesquisa completa e seja atencioso antes de realizar uma contratação, pois, é um dos serviços mais relevantes e infelizmente, presentes na rotina de muitos motoristas.

É importante lembrar-se de que a seguradora irá apenas realizar os serviços, e principalmente indenizações, do que for exposto e pago, no contrato. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *