Não seja refém das seguradoras: denuncie!

A seguradora não aprovou a oficina escolhida? Acione o Procon!
3 de maio de 2019
Saiba a diferença entre peças originais e genéricas!
3 de julho de 2019

Não seja refém das seguradoras: denuncie!

A Oficinas do Bem possui vários objetivos, dentre eles difundir boas práticas no segmento, fomentar a melhoria constante dos profissionais envolvidos, buscar novas tecnologias na reparação automotiva e principalmente orientar e alertar os consumidores.

Por serem informações que dificilmente são divulgadas e por ter enraizada a ideia de que apenas as seguradoras detêm o poder de escolha, muitas das vezes os consumidores (segurados) acabam por não ter conhecimento de seus direitos.

Felizmente, estamos aqui para alertá-los que, você, na condição de consumidor, tem total direito de livre escolha para determinar em qual oficina deseja restaurar seu carro.

E não pense que os consumidores estão sem amparo, muito pelo contrário: eles tem o apoio de sindicatos e associações que defendem a classe dos reparadores de veículos, além de ter um projeto de lei com a finalidade de defender o direito de livre escolha do consumidor (segurado).

Sabendo disto, busque informar-se sobre os seus direitos, saiba o que está inscrito no projeto da Lei 5097/16, tenha em mãos o conhecimento do que pode ou não ser feito para que em uma eventual circunstância desagradável, saiba como denunciar a seguradora.

Você pode contar com o apoio de alguns sindicatos e associações, tais como: ABRAESA (Associação Brasileira Da Indústria, Comércio e Serviços Para Excelência da Reparação Automotiva); SINDIREPA (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo); SINDIFUPI (Sindicato da Indústria de Funilaria e Pintura do Estado de São Paulo).

Em todos eles há orientações e descrições sobre o trabalho que desenvolvem, isto é, o combate com as seguradoras que impõem em qual oficina deverá ser realizado o seu conserto.

Possuem toda a estrutura para auxiliar e contribuir com o consumidor que se sentir lesado, instruindo-o as medidas que deverão ser tomadas.

Portanto, não fique calado: contribua para que as seguradoras passem a respeitar o direito de escolha dos seus clientes. Denuncie!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *