Fique atento a baixa qualidade no reparo e evite dores de cabeça futuras

Está na dúvida em qual Seguradora contratar? Peça recomendações!
1 de abril de 2020
O que pode gerar um acidente de trânsito?
15 de abril de 2020

Fique atento a baixa qualidade no reparo e evite dores de cabeça futuras

Fique atento a baixa qualidade no reparo e evite dores de cabeça futuras

A conquista de um automóvel próprio está presente nos sonhos de muitos brasileiros, ter a liberdade de ir e vir, ter o volante em suas mãos e principalmente usufruir dessa autonomia sem preocupações. Mas, não é sempre assim que as situações tendem a atuar.

Mesmo que o proprietário esteja em completa responsabilidade e noção perante a legislações e regras de trânsito a serem cumpridas, imprevistos sempre acontecem e além de que lidar com outros motoristas e imprevistos nas ruas, rodovias e estradas estão nas possibilidades para todos os motoristas.

Mesmo que seja um pensamento pessimista e evitado pela maioria os motoristas, não é uma preocupação inválida e improvável, visando que segundo o Conselho Federal de Medicina, são cerca de 5 acidentes a cada 1 hora, vítimas de batidas e colisões, ainda sem levar em consideração a má estrutura de estradas e rodovias. Os motoristas devem estar preparados para lidarem com situações prováveis e que podem danificar e gerar um prejuízo material.

Uma das maneiras mais claras de ter controle até em situações de acidentes e imprevistos, é estar conscientes de quais atitudes tomar, de como agir e também quais os profissionais indicados em determinadas situações.

Em um momento no qual há muita euforia, emoções e nervosismo, é muito importante para os envolvidos terem auxílio correto e atendimento eficaz, para que a dor de cabeça seja apenas momentânea.

 

Aspectos que indicam baixa qualidade de atendimento

Lidar com colisões, acidentes e prejuízo material é uma preocupação que atormenta qualquer motorista, a recuperação do susto pode ser difícil, mas, é necessário que desde os primeiros atendimentos profissionais, o proprietário esteja ciente de seus direitos enquanto consumidor, dos métodos de atendimento, e principalmente sempre atento perante a qualidade dos serviços, ou seja, no momento do reparo dos danos.

Como em qualquer área de atuação no mercado, existem sempre chances de haver atendimentos precários, ausência de ética e moral profissional, e descaso com os direitos do consumidor.

Muitos motoristas caem em ciladas por simplesmente não conhecerem e abdicarem seus direitos, mas, com apenas uma básica noção e percepção em alguns sinais vitais no atendimento e serviço, é possível entender quando o reparo está sendo de baixa qualidade.

Primeiramente, certifique-se no básico do atendimento, educação e sinceridade profissional, se o ambiente e o primeiro contato foi indesejado e não despertou confiança, procure outras opções que possam realizar os serviços.

Quando trata-se de reparos em automóveis, é necessário que seja feito da maneira mais correta e ética possível, pois qualquer erro pode ocasionar em futuros acidentes, colocando em risco a própria segurança.

Quando há a primeira avaliação da situação e o que terá de ser feito para reparação do carro, o atendimento tem que ser de maneira transparente, o mecânico e sua equipe devem esclarecer todos os problemas e necessidades que o carro obteve no acidente ou colisão, e ser honesto com o método de reparo a ser feito, citando valores de peças, atendimento, citando defeitos e soluções e tudo que for necessário, e por fim deixar que a decisão de continuar o reparo nessa oficina seja do cliente.

Atente-se sempre em situações de chantagem e ameaça, o consumidor nunca é obrigado a finalizar um serviço por apenas uma avaliação, a escolha final é do cliente. Para uma melhor análise do que será o atendimento e o reparo, peça a apresentação de um orçamento e de uma explicação clara do que será realizado.

Lembre-se que o barato pode sair caro, peças e reparos de automóveis podem ser um grande peso no bolso, pois não são materiais tão acessíveis, além de serem de extrema importância (principalmente para evitar problemas futuros). Se está muito barato, pode ser que esteja errado, em dúvidas procure por uma segunda opinião profissional.

 

Escolha uma oficina de confiança

Como um fator principal de importância quando trata-se de um reparo, é a escolha da oficina que irá atuar no concerto. Uma das ações que podem ser cruciais para evitar dores de cabeça futuras após um reparo, é a escolha da oficina e dos profissionais.

Desde a compra do automóvel, é importante que o motorista tenha opções de confiança para procurar em um momento de necessidade, para que o atendimento seja rápido e evite toda a procura por novas oficinas.

Existem muitos meios para encontrar oficinas de confiança, primeiramente, tome como partida, opiniões de conhecidos, familiares e amigos, com certeza os mesmos já possuem uma oficina no qual se identificam com os valores, atendimento, e reparos, sendo uma grande e de confiança referência.

Mas, caso não seja possível, a internet é um grande aliado do consumidor. Procure por oficinas na sua região, e veja avaliações que o estabelecimento possui, e lembre-se que em pesquisas orgânicas, os melhores tendem a estar nas primeiras posições.

 

O reparo foi de baixa qualidade, o que fazer?

Caso todos os pontos acima tenham sido seguidos e ainda sim o consumidor foi vítima de reparos de baixa qualidade, é o momento no qual os direitos do consumidor atuam. Se você consumidor, possuir toda a documentação de obtenção dos serviços, pagamentos corretos e recibos extraídos, é o momento de questionar o atendimento.

Primeiramente, você pode questionar a oficina e os profissionais, procurar entender o que aconteceu de errado e porque o atendimento não foi eficaz. Em caso de negação por parte dos profissionais, procure seus direitos entrando em contato com o Instituto de Defesa do Consumidor, o Procon (telefone 151), e acionar o ocorrido, mas, em casos extremos, procure a justiça, organize as documentações necessárias e com auxilio de advogados, procure seus direitos.

Lembre-se que se você pagou por algum produto ou serviço, que apresentava uma funcionalidade mas não a realizou, é seu direito enquanto consumidor questionar e apontar os fatos.

A sua segurança não pode ser medida em falta de ética, moral e anti profissionalismo, dos mínimos de risco, você perderá dinheiro e terá de futuramente resolver e pagar por maiores reparos do que os iniciais. Seja coerente com a sua escolha e com seus direitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *