Se sentiu lesado no reparo do seu automóvel? Procure o Procon

O que pode gerar um acidente de trânsito?
15 de abril de 2020
Quando usar peças paralelas em seu automóvel?
29 de abril de 2020

Se sentiu lesado no reparo do seu automóvel? Procure o Procon

Se sentiu lesado no reparo do seu automóvel? Procure o Procon

O desejo de possuir um automóvel próprio pode acompanhar alguns atritos burocráticos bem desagradáveis, principalmente quando trata-se de proprietários de primeira viagem. É necessário possuir o básico de orientação para não cair em ciladas e ter o os seus direitos e deveres realizados sem problemas e sem ilegalidade, por qualquer parte.

Não é necessário ser um especialista em questões burocráticas sobre direitos e deveres de quem possui um automóvel, mas é sempre válido possuir orientações, atenção sobre funcionalidade dos mesmos, oficinas ou seguradoras de confiança, e sempre muita opinião firme de conhecidos já experientes, ou em todo caso, uma pesquisa firme na internet.

E, ainda sim, nenhum motorista está isento de cair em ciladas, principalmente relacionada a outros motoristas, a oficinas, compra de peças e seguradoras. Por isso, oriente-se com esse artigo de acordo com informações relevantes que qualquer proprietário, comprador deve se atentar. Mas lembre-se, procure sempre evitar chegar ao ponto burocrático, evite o que pode se tornar algo cansativo, exaustivo e em longo prazo.

 

Como evitar cair em ciladas?

Primeiramente, é necessário conhecer e pesquisar opções de oficinas que tendem a oferecer o reparo que o seu automóvel necessita, de forma coesa e com resultados esperados do consumidor. Para isso, existem alguns caminhos a se seguir para encontrar a oficina responsável pelos reparos. Lembre-se que independente de ser de qualidade e com relevância no mercado, você ainda possui seus direitos enquanto consumidor assegurados.

Caso tenha conhecidos de confiança que possuam automóveis, e consequentemente oficinas seguras e que já ofereceram serviços corretos aos mesmos, opte por torna-las uma opção. Selecione as que foram de maior e melhor performance, e entre em contato para obter informações sobre os reparos que o seu automóvel irá necessitar. Veja o atendimento, métodos de pagamento, garantia, nota fiscal, o reconhecimento que a mesma possui no mercado, e se sentir-se seguro, realize o serviço.

Se o caso for de não possuir nenhum conhecido com referencias de oficinas, opte pelo caminho mais acessível e que possui um mar de ofertas, a internet. Com uma simples procura, você irá encontrar um vasto número de oficinas, com isso, comece selecionando apenas as que estão liderando o ranking de pesquisa, do Google por exemplo, e a partir daí, inicie a pesquisa profunda. Analise questões como: funcionamento do site, reclamações, criticas, resultados reais que a oficina obteve, informações relevantes que o site possui, e se o mesmo entrega garantia de resultado. Com isso, selecione as melhores e faça o último passo da pesquisa pessoalmente, vendo novamente o atendimento, métodos de pagamento, garantia, nota fiscal, o reconhecimento que a mesma possui no mercado, e se sentir-se seguro, realize o serviço.

Ainda sim, é importante se atentar a detalhes básicos, observe o funcionamento da oficina (limpeza, organização, serviços em outros automóveis), cheque as origens das peças do seu carro e consequentemente o que o mecânico irá utilizar (se você irá pagar por peças paralelas, ou se irão possuir a performance devida), e principalmente, compare os valores, lembre-se que algo que está muito barato em relação ao mercado, pode ser falsificado ou de baixa qualidade, sempre desconfie de ofertas milagrosas.

É muito importante um detalhe a ser seguido pelo proprietário, que o mesmo não de permissão prévia para revisões ou serviços. Não deve-se oferecer o carro para analises ou serviços sem antes conhecer ou saber das pretensões que o mecânico irá ter, lembre-se que é um risco de cair em golpes e ciladas. Antes de qualquer ação, peça um orçamento.

Por fim, mas não menos importante, imponha a necessidade de documentos oferecidos após a compra, como por exemplo, notas fiscais, contratos (caso o serviço seja a longo prazo), documentação explicando o serviço que irá ser realizado, entre outros. Isso será fundamental para o consumidor caso o mesmo sinta que seus direitos foram feridos, é a prova principal para garantir a resolução no Procon ou na justiça.

 

Direitos do consumidor violados

Mesmo com toda a pesquisa, orientação e cuidados, ainda sim, qualquer consumidor pode ser alvo de ciladas e golpes, mas, a justiça tende a ajudar a resolver. Caso você note que sofreu um golpe, ou o serviço/produto obtido na compra não realizou a performance correta, é o momento de acionar a justiça. Primeiramente, o órgão responsável pelo primeiro auxílio é o Procon, (O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), é uma nomenclatura para órgãos estaduais e municipais que atuam em defesa do consumidor em situações de ilegalidade e irresponsabilidade do vendedor. Com as documentações oficiais, o mesmo entrará em contato com o Procon, apresentar o problema, e após a reunião da documentação, um funcionário do órgão tende a atuar para gerar um acordo benéfico para ambas as partes, ou seja, o vendedor e o consumidor.

Mas, existem casos extremos que esse acordo não funciona e em seu direito, o proprietário tende a partir para o mais burocrático, a justiça. Primeiramente, com os devidos documentos, procure um advogado especializado, caso não obtenha recursos para esse fim, a Defensoria Pública será o órgão responsável para oferecer um advogado “gratuitamente”. Com isso, um processo será marcado e o juiz irá atuar e entender a situação de ambos.

Entretanto, lembre-se que a escolha final, os direitos básicos de informação, proteção contratual, proteção contra propaganda enganosa, e demais, estão presentes para atuar ao lado dos consumidores quando os mesmos são violados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *