Quando usar peças paralelas em seu automóvel?

Se sentiu lesado no reparo do seu automóvel? Procure o Procon
22 de abril de 2020
A escolha final é sempre a do dono do veículo!
6 de maio de 2020

Quando usar peças paralelas em seu automóvel?

Quando usar peças paralelas em seu automóvel?

Na atualidade, obter um automóvel próprio é uma das maiores realizações materiais presentes para as pessoas. Visando que o mesmo é resultado, em sua grande parte, de muito esforço, trabalho, e mais do que um status social, mas sim uma necessidade, uma conquista de algo que em alguns casos é inviável viver sem. O mundo da globalização tornou as cidades populosas, grandes, novas metrópoles e com isso, o “luxo” tornou-se necessidade.

Mas, o pagamento, ou financiamento do mesmo, não é a parte mais difícil e burocrática presente quando se obtém um carro. Assim como qualquer uma coisa de uso contínuo, o mesmo necessita de constantes manutenções, cuidados, análises, e isso duplica-se quando o mesmo é usado diariamente, sem descanso e disposto a enfrentar a rotina pesada dos proprietários.

E além das manutenções naturais que o mesmo necessita, quanto mais acesso a ambientes, vias, ruas e rodovias com carros em quantidades abundantes, com todos os tipos de motoristas, mais riscos estão a serem tomados, e infelizmente, segundo dados, as causas são variadas e as chances são gritantes. Por isso, a questão de manutenção de peças, seja por necessidade ou emergências de colisões e acidentes, devem obter atenção dos proprietários.

 

Cuidados ao adquirir uma peça 

Antes de adquirir qualquer peça para seu automóvel é importante tomar algumas precauções, cuidados e obter orientações coesas, sempre para solucionar o problema e principalmente evitar perda de dinheiro, prejuízo e até acontecimentos mais graves.

É fundamental conhecer o assunto ou possuir uma orientação profissional ética perante o produto a ser investido, pois quando se trata de carro, é basicamente um investimento em segurança. Não trata-se apenas de preços e funcionalidades, alguns fatores devem ser presentes no momento de escolha.

Uma maneira mais acessível e eficaz na atualidade de obter acesso a informações relacionadas a compras é através da internet. A internet é um canal de comunicação e também de publicidade que oferece um vasto número de anunciantes de quaisquer nichos de produtos do mercado. Para encontrar um que seja eficiente, procure pelo ranking de recomendações dos que lideram posicionamento de resultados no Google, com as opções definidas dentre os “melhores” em posição da pesquisa, inicie a análise. A análise pode ser feita de acordo com os requisitos de preço, características, funcionalidades que o mesmo oferece, duração estipulada, e principalmente, referência do uso da mesma em situações de outros clientes. Compare os concorrentes e com a escolha feita, entre em contato e tire o restante das dúvidas. Mas lembre-se, por lei, a escolha final é sempre do consumidor.

Conheça a credibilidade da marca, obtenha ciência de referências e veja a relevância que a marca possui no mercado. Mesmo que seja de muita qualidade, ainda sim uma peça não é imune a falhas, por isso, certifique-se que tenha garantia pós compra, para garantir que independente de falhas, obtenha direitos de garantia. Ou mesmo que a marca ofereça suporte técnico, são fatores que são determinantes para a compra correta e eficiente.

 

Peça Original

Sempre em questões de produtos, existem originais e paralelos, e ambos possuem suas diferenças e pesos a serem aplicados na balança no momento da compra.

A peça original, como o próprio nome já diz, é uma peça que é feita de forma original, com materiais e confecções feitas de forma original, como sendo saído da própria fábrica do automóvel. Podendo serem produzidas por oficinas, empresas terceirizadas, entre outros. Os pontos a serem pensados, são: preço mais elevado no mercado, garantia de mais segurança, confiabilidade, durabilidade, se adequam ao veículo e são credenciados.

Apesar do preço elevado, é uma alternativa viável dependente do caso que está a necessidade do automóvel, ou em situações de uma peça ser mais importante e determinante para funcionamento. Pode ser que o preço elevado seja benéfico para evitar uma troca repentina (de peças falhas), e principalmente para peças que não serão trocadas constantemente.

 

Peça Paralela

São peças também chamadas de genéricas, peças que são confeccionadas, desenvolvidas e reposição por fabricantes a fim de reproduzir o funcionamento de peças originais. Mesmo que sejam genéricas, existem peças que podem ter um funcionamento de qualidade e resultados semelhantes as originais. Existem peças de alta performance, mas que ainda algumas peças podem reproduzir funcionamento de má qualidade.

Para entender qual peça será benéfica, analise algumas questões. O primeiro fator a ser analisado é o preço, atente-se se o preço está muito baixo por uma peça que irá obter alta performance, faça uma comparação baseada em concorrentes, analise sempre o custo-benefício, o preço antes de tudo deve ser justo. Procure referências de consumidores que obtiveram a compra de alguma peça referente ao vendedor, veja a credibilidade que o mesmo oferece e as restrições de uso de outros compradores.

 

Quando usar as peças paralelas?

O momento de usar peças paralelas pode variar-se de acordo com a necessidade e principalmente com a categoria de uso. Peças que são de uso de muita importância, performance de alta duração, e principalmente referência para funcionamento de outras partes do automóvel, devem ser analisadas e principalmente o custo-benefício, quando a importância é de relevância, e o preço muito barato, pode haver alguma restrição.

Mas, sempre analisando de maneira correta, cuidado e atenção, as peças podem ser adquiridas, mesmo que paralelas. Algumas possuem alta performance, mesmo que baratas. Analise o funcionamento, e o preço, com essas questões resolvidas, a peça pode ser comprada e o funcionamento correto normalmente. O preço não deve ser a única coisa analisada, é um conjunto de fatores a serem planejados e observados.

A escolha é sempre do cliente, a análise e informações são direitos dos compradores, as informações não devem ser escondidas e essa é uma lei vinda dos direitos dos consumidores. Além de outros direitos como garantia, nota fiscal, proteção contratual, proteção contra publicidade enganosa, e principalmente, a lei n.º 8.078/90 englobou no inc. I, do art. 6.º que protege que a decisão final de compra é sempre do consumidor, independente de analisar qualquer informações, o consumidor não é obrigado a garantir nenhuma compra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *