Furto, roubo, colisão, alagamento e incêndio: as diferentes causas da perda total

Como-acionar-o-seguro-em-caso-de-perda-total
Como acionar o seguro em caso de perda total
1 de outubro de 2020
Pneu-vencido-pode-estourar
Pneu vencido pode estourar? Quais os cuidados necessários
15 de outubro de 2020

Furto, roubo, colisão, alagamento e incêndio: as diferentes causas da perda total

as-diferentes-causas-da--perda-total

A contratação de serviços de seguradora pode trazer a tona muitos  questionamentos, dúvidas, e a necessidade de uma análise profunda em cada  detalhe que envolve a apólice, os serviços, o atendimento, os pagamentos por  parte do contratante e as indenizações.

A ausência de conhecimento sobre o  assunto e informações reais, impede muitos motoristas que sentem a  necessidade, de contratar os serviços de um seguro, mas que são  constantemente baseado em “fofocas” ou informações falsas, prejudicando esse  cliente de realizar a contratação. 

É sempre importante basear-se no que cada motorista, ou mesmo  proprietário e beneficiários irão necessitar. Cada perfil de motorista possui suas  necessidades, sua rotina, e consequentemente seus riscos. Riscos que podem  ser atendidos e “tratados” pelas seguradoras em um período de emergência, 

principalmente para motoristas que possuem como fonte de renda, o veículo, ou  mesmo os que necessitam diariamente como seu meio de transporte. Avaliar as  suas necessidades é o principal passo para contratar os serviços de uma  seguradora, lembre-se sempre que é um investimento em segurança e proteção. 

Posteriormente, é necessário realizar uma pesquisa. Os serviços de uma  seguradora são comentados e carregam uma “fama” de serem em um preço  muito elevado para um serviço “improvável”, ou um serviço que não trará o  atendimento pelo qual foi investido.

Mas, para evitar essa repercussão e mesmo  a própria contratação, a maneira mais viável é realizar uma “entrevista”, ou seja, solicitar uma conversa em atendimento para entender como funciona a apólice,  os pagamentos, a indenização e os atendimentos. Evitando qualquer dúvida.  

Primeiramente, do que se trata uma apólice? 

A apólice de uma seguradora é um documento emitido pela mesma, que  formaliza e torna-se oficial pela lei, a aceitação do risco. Ou seja, é um  documento que garante a oficialização que o segurado irá obter toda a proteção,  atendimento e indenização que estão incluídas nesse documento (na apólice). 

Também sendo um documento indispensável para a própria seguradora garantir o pagamento e a formalização dos serviços que devem (ou não) ser prestados e  também das regras sobre a indenização.  

A apólice é o principal documento que garante os direitos e deveres de  ambas as partes na contratação de um seguro. Neste documento são definidas todas as informações referentes ao perfil do motorista e beneficiários, as  cláusulas dos serviços e atendimentos, as questões de pagamentos, e que será  o determinante para tudo.  

Como funciona os serviços de uma seguradora? 

Uma seguradora é uma categoria de serviço prestado por uma empresa,  para um consumidor, como qualquer outro tipo de serviço.

Seu método de  funcionamento é baseado em uma apólice (o contrato) que incluem todas as  informações referentes ao perfil do cliente, o tipo de serviço que foi contratado,  os beneficiários incluídos, as cláusulas das condições para o atendimento ser  realizado, e o que estão inclusos no pacote que o cliente contratou. 

Para ser a apólice ser oficializada e formalizada, primeiramente, a  seguradora irá realizar uma entrevista e uma análise do perfil do cliente e  beneficiário(s).

Incluindo informações de: faixa etária, gênero, rota diária,  localização, rotina, tempo de carteira (CNH), tempo de utilização diário do veículo e de acordo com essas informações, desenvolver o perfil e as chances  estatísticas de envolvimento em x acidentes, colisões, batidas e emergências. 

Posteriormente, é aplicado um valor mensal ou semestral para o cliente, e então o pacote é definido, baseando-se nele, as condições para realizar o atendimento  e aplicar indenização.  

O que significa o termo “perda total”? para o seguro  

O termo “perda total” é uma denominação que caracteriza um acidente, uma batida ou uma colisão, que geram danos que ultrapassam 75% do valor  total do veículo, por exemplo, se o mesmo possui um valor total de R$ 50 mil, e a quantia dos gastos for acima de 75% de todo o valor do veículo, é denominado  uma perda total, pois não há uma manutenção que seja benéfica para a  empresa, com isso, é oferecida uma indenização.

Existem casos específicos que determinam uma perda total, incluindo: roubo, furto, alagamento, incêndio, além  das próprias colisões que são as mais comuns.  

Perda total com roubo e furto 

Uma das mais comuns causas que são incluídas pelas empresas de  seguros, como uma perda total, são as de roubo e furto. Mesmo possuindo a  mesma base de significado, existe uma pequena diferenciação entre ambas.

O  roubo é caracterizado pela ação de obter um pertence de um indivíduo,  possuindo contato com a vítima, seja violência ou ameaça. O furto, por sua vez,  é obter o pertence de um indivíduo sem qualquer relação com a vítima.  

Estar incluso como perda total, depende sempre do método de  funcionamento da empresa, mas, devido a perda de 100% do veículo, pode ser  considerado uma perda total.

Após o furto/roubo, a empresa irá acompanhar todo  o processo de boletim de ocorrência, para certificar-se que realmente foi  cometido um crime, e após um período de 30 dias, a indenização é entregue, de  acordo com as formalidades.  

Veículo danificado 

Como já foi dito anteriormente, em casos de colisões e batidas, o dano  causado é analisado pela seguradora, para estipular o grau de perda. Em caso  de uma perda, ou custo da manutenção, para ser considerado perda total o valor  da perda deve ser superior a 75% do valor total do veículo.

Com base nas regras  da empresa, e posteriormente a análise da empresa, a indenização pode vir em  até 30 dias. Em casos de colisões geradas por uma ação voluntária, a partir de  infrações de trânsito, ou por indivíduos não inclusos na apólice, a indenização  é negada.  

Casos de veículo incendiado  

A inclusão do serviço que garante indenização em casos de incêndios e  alagamentos, depende da opção da empresa de incluir esses tipos de serviços na apólice (no qual a indenização de alagamento pode ser incomum).

Como  qualquer outro serviço, antes de gerar uma indenização, a análise dos  profissionais é iniciada. O incêndio ou alagamento devem ser gerados de  maneira involuntária (seja por questões ambientais ou acidentais), e para isso, a empresa participará da investigação para descobrir o que gerou o incêndio ou  alagamento.

Posteriormente, após a confirmação do incidente involuntário, a  indenização deve ser feita em até 30 dias. Lembre-se que para obter indenização nesses dois casos, o pacote de proteção deve estar incluído na apólice  do cliente. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *